sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Cinco Maneiras de Meditar



É um equívoco comum pensar que a meditação consiste em ficar sentado no chão ou numa almofada especial por horas. Na verdade, existem muitas maneiras diferentes de meditar, em períodos que duram desde cinco minutinhos de folga na cadeira do escritório, até um retiro longo e silencioso no fim-de-semana. 

1 – Entrar em contato com o solo 

Não importa o estilo da meditação que escolher, o contato com o chão faz parte dele, mas pode também senti-lo isoladamente. Retire os sapatos e meias. Coloque-se numa posição relaxante e confortável, que permita que todo o comprimento do seu pé esteja em contato com o chão. Posicione as mãos no colo. Feche os olhos e visualize a base da sua coluna vertebral a entender-se, como se fossem as raízes de uma árvore, para o centro da terra. Inale e alongue a base da sua coluna para baixo. Faça isso e, ao mesmo tempo, sinta o topo da sua cabeça a alongar-se para cima. Exale e relaxe os seus músculos, deixando a energia negativa aflorar para fora da coluna vertebral e através da raiz da árvore. Pode fazer este exercício por alguns minutos ou pelo tempo que desejar.

2 – Meditação Sentada

A mais popular técnica de meditação continua a ser a meditação sentada. Dentro desta prática existem algumas variações. Algumas pessoas sentam-se na posição de lótus, enquanto outras se sentam numa almofada ou num pequeno banquinho para prevenir cãibras. Alguns dos praticantes fecham os olhos. Outros preferem ficar com as pálpebras abertas, para evitar o sono, uma vez que a meditação pede uma mente alerta. Inspire e expire, usando a técnica do contato com o solo para focar a mente. Em vez de resistir à entrada de pensamentos externos e preocupações na sua mente, acolha-os. Permita que eles saiam rápido, que possam ir e vir como as nuvens no céu. 





3 – Meditação numa Cadeira Reclinável

Para aqueles que acham a tradicional meditação sentada desconfortável, este método é uma alternativa aceitável. Ajuste uma cadeira no nível médio de reclinação. Tire os sapatos e meias. Pressione as solas dos pés uma contra a outra. Coloque as mãos no colo ou contra o peito. Relaxe, respire e aprecie o momento presente. Permita que os pensamentos passem pela sua mente, mas não converse com eles internamente.

4 – Meditação com Mantra

Cantar mantras é uma técnica de meditação clássica. Ela pode ser tão simples quanto poderosa, com a entoação de “ooom” ou “shanti”, ou com a utilização de uma frase de auto-realização ou focalização que prefira usar. Pode dizer mantras em voz alta, silenciosamente, ou como um “huuum”. Enquanto repete o mantra, preste atenção ao fluxo de energia e à respiração. Pode cantar mantras com qualquer forma de meditação: em pé ou sentado.


5 – Meditação com Músicas Purificadoras

Uma das mais criativas e energéticas técnicas de meditação é a dança purificadora, um estilo visto mais frequentemente em redemoinhos Sufi ou rituais xamânicos. Fique em pé, descalça, respire e sinta o solo. Esta é uma oportunidade excelente para definir um objetivo para o seu ritual ou para fazer interiormente perguntas para as quais procura respostas. A transição para o segundo estágio da dança é feita normalmente com música instrumental. Ela pode ser acompanhada de gritos, cantos ou expressões emocionais. Esta transição pode durar de 20 minutos a uma hora, intercaladas por fases de dança mais lenta. Para finalizar a meditação, deve ficar dez minutos deitada no chão até normalizar a respiração. 





Em geral, esta meditação é feita em grupo e com um facilitador a orient
ar.

Texto de: Maria Luísa Albuquerque
Psicoterapeuta e Hipnoterapeuta
Via: Harmoniza




terça-feira, 17 de setembro de 2013

10 Piores Hábitos para o Cérebro





10 – Falta de pensamentos criativos e estimulantes
Pensar é a melhor maneira de “treinar” o seu cérebro. Deixar de manter o cérebro estimulado pode vir a causar lesão cerebral, que é a destruição ou degeneração das células do cérebro.
9 – Falar pouco
Conversar sobre assuntos variados melhoram a eficiência do cérebro.
8 – Trabalhar enquanto estiver doente
Trabalhar muito ou estudar demais enquanto estiver doente pode prejudicar a eficiência do cérebro e causar pequenos danos ao cérebro.
7 – Dormir com a cabeça coberta
Dormir com a cabeça coberta aumenta a concentração de dióxido de carbono e diminui a concentração de oxigênio, o que pode causar, entre alguns problemas, danos no cérebro.
6 – Dormir pouco
Dormir permite que seu cérebro descanse. Ficar muito tempo sem dormir acelera a morte de células cerebrais.
5 – Poluição do Ar
O cérebro é o maior consumidor de oxigênio do nosso corpo. Inalar a poluição do ar diminui o suprimento de oxigênio ao cérebo. O que faz cair a eficiência do cérebro.
4 – Consumir muito açucar
Muito açucar interrompe a absorção de proteínas e nutrientes. Esta falta de nutrientes interrompe o desenvolvimento ideal do cérebro.
3 – Fumar
Motivo de múltiplos problemas para o cérebro sendo um deles: aumentar as chances de ter Alzheimer.
2 – Reagir Exageradamente
Causa o endurecimento das artérias cerebrais, levando a diminuição da capacidade cerebral.
1 – Não tomar Café da Manhã
Pessoas que não tomam café da manhã tem uma baixa de açucar no sangue. Isso faz com que o transporte de nutrientes ao cérebro fique insuficiente, causando a degeneração do cérebro.




Comida para a mente: hábitos alimentares podem afetar o cérebro


Nada melhor do que fazer um esforço eficiente e atingir dois objetivos de uma só tacada. Há alguns dias, foi divulgado que a dieta mediterrânea faz bem tanto para o coração como para o cérebro.
Segundo um estudo, realizado na Espanha, com mil participantes ao longo de seis anos, os seguidores da dieta mediterrânea, rica em azeitonas e nozes, apresentavam um alto desempenho cognitivo. Ela também reduz o risco vascular ou circulatório, inflamações e danos ligados à oxidação no cérebro.
A dieta mediterrânea não inclui alimentos processados nem gorduras prejudiciais, e é rica em substâncias antioxidantes e antiinflamatórias. É composta por grãos integrais, frutas, legumes, peixes e, para quem gosta de um bom trago, vinho tinto.
Aproveitando a descoberta, confira abaixo pesquisas recentes que demonstram como a saúde do cérebro está ligada aos hábitos alimentares.
1. Para o cérebro, menos café da manhã equivale a mais almoço
“Tome café como um rei, almoce com um príncipe e jante como um mendigo” é a frase que toda mãe já pronunciou para incentivar seus filhos a não pular a primeira refeição do dia – e já foi comprovado que ela tem certa lógica.
Tony Goldstone, do Centro de Ciências Clínicas de Londres, escaneou o cérebro de pessoas que não tomam café da manhã e descobriu que suas áreas de prazer eram ativadas quando viam alimentos de alto teor calórico, e demonstravam baixa atividade quando a pessoa via alimentos leves e com poucas calorias. Para o cérebro, pular o café da manhã não só leva você a comer mais no almoço, como escolher pratos pesados e pouco saudáveis.
“Os participantes comiam mais quando estavam em jejum e ingeriam mais calorias”, explica Goldstone, que calculou que os voluntários comiam cerca de 20% mais quando almoçavam com a barriga vazia.
2. Dietas ricas em açúcar afetam a memória e a aprendizagem
A doçura tem seu preço. Segundo um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, o cérebro de quem ingere grande quantidade de açúcar durante seis semanas pode sofrer uma perda pronunciada das funções cognitivas.
Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores alimentaram com xarope de frutose de milho um grupo de ratos. Ao longo do tempo, os animais demonstraram uma dificuldade crescente de se orientar em um espaço já conhecido.
“O estudo confirma que uma dieta rica em açúcar afeta tanto o corpo como o cérebro” , explica Gomez-Pinilla, um dos pesquisadores. Além disso, a insulina, hormônio que regula o metabolismo dos carboidratos e gorduras, pode ter um papel nesse resultado: “É importante para a circulação da glicose no sangue, mas pode exercer algum tipo de influência no cérebro que afeta a memória e o conhecimento”.
Os cientistas deram a outro grupo de ratos um suplemento com Ômega 3, um ácido graxo que previne a redução das sinapses. O resultado foi o oposto: os roedores obtiveram um desempenho cognitivo muito melhor que o do primeiro grupo. Os pesquisadores deduziram que o ômega 3 é uma opção adequada para quem tem uma dieta rica em açúcar. Portanto, se você gosta de guloseimas, prefira alimentos como salmão, atum, sardinha, tofu, nozes e soja, ricos em ômega 3.
3. Chá verde faz bem para a memória
Milhões de chineses não podem estar errados. As propriedades químicas da bebida mais popular do gigante asiático, tradicional há vários séculos, contribui para a produção de células cerebrais e beneficia a memória e a inteligência espacial. Essa é a conclusão de um estudo chefiado por Yun Bai, professor da Universidade Militar de Medicina de Chongqing, que analisou os diversos benefícios do chá verde.
O pesquisador chinês e sua equipe estudaram as propriedades do EGCG, uma substância do chá verde com propriedades antioxidantes. “Comprovamos que o EGCG pode melhorar a função cognitiva porque estimula a produção de células neuronais, um processo conhecido como neurogênese”, explica Bai.
4. A fome afeta a capacidade de tomar decisões
O comportamento é afetado pela abundância ou escassez de alimento. No reino animal, por exemplo, um predador se dispõe a correr mais riscos e a caçar presas perigosas se estiver faminto. O mesmo se aplica às pessoas: quem vive de barriga vazia tende a assumir mais riscos financeiros que quem tem condições de se alimentar.
A drosófila, mais conhecida como mosca da fruta, enfrenta certos riscos quando está com fome.
Esse inseto percebe a presença de dióxido de carbono como sinal de perigo e um convite para voar para outro lugar. No entanto, as frutas estragadas, uma das iguarias mais apreciadas pelas drosófilas, emitem CO2. Mas quando precisam se alimentar, essas moscas privilegiam o instinto de sobrevivência e vencem a versão a essa substância perigosa, apesar das consequências.



Alimentação Viva: por que não cozinhar os vegetais?


Alimentos vivos são vegetais que possuem biocampos com a energia armazenada durante a fotossíntese.

Quando nos alimentamos de vegetais, sintetizamos sua luz para absorvê-la e armazená-la em nossos próprios campos de energia (TAGGART, 2008, p.73). 

Considera-se que estes alimentos devem ser consumidos ainda crus, pois tanto o fogo como o resfriamento destroem este campo de energia e eliminam sua vitalidade.

Quando as nossas células vivas recebem as informações contidas nas células vivas dos vegetais crus, das sementes germinadas e dos brotos, ocorre uma comunicação dentro do nosso corpo.

Os cientistas modernos chamam de transmutação biológica de baixa energia a capacidade que um organismo desenvolve de identificar e transformar determinada substância bioquímica contida em um vegetal em uma substância específica da qual o corpo necessita naquele momento.

Isso significa dizer que, quando você ingere um vegetal com campo de energia organizado e, portanto, sem cozimento, é bem possível que seu corpo transforme os elementos químicos nele contidos, adaptando-os à sua própria realidade... Exemplo: se uma pessoa estiver anêmica, a ingestão de qualquer vegetal cru fará o seu corpo produzir ferro. Este é um processo que se desenvolve por completo em pessoas que se alimentam freqüentemente de alimentos com vitalidade. E, claro, esta informação é pouco divulgada e quase sigilosa, pois detona as indústrias fast food, farmacêuticas e, ainda por cima, desestrutura as tabelas nutricionais.

O fato é que somente os seres humanos e os animais domésticos consomem alimentos cozidos. Na verdade, consumi-los é uma verdadeira agressão ao nosso corpo que os recebe com uma ação de defesa do organismo denominada pela ciência como leucocitose digestiva. Como todos sabem, os leucócitos são mecanismos de proteção que o nosso corpo produz com a finalidade de exterminar parasitas que provocam infecções, doenças. Isso demonstra que a ingestão de alimentos destituídos de campo de energia representa em nós a entrada de um organismo estranho, um agente de ameaça ao funcionamento do sistema corporal. Tanto é assim que a assimilação desse tipo de alimento, ao invés de alimentar nosso campo vital, esgota sua energia através de uma sobrecarga no processo de digestão.
Não bastassem estas informações sobre a leucocitose digestiva, recentemente, pesquisadores descobriram que o consumo de amidos cozidos produz em nós uma substância neurotóxica chamada Acrilamida, cujas efeitos são altamente cancerígenos. O princípio básico para formação da acrilamida consiste em submeter carboidratos (cereais, batatas) às altas temperaturas, por volta de 120º. Os resultados dessa pesquisa são pouco divulgados. No Brasil, há somente uma pesquisa desenvolvida em 2004 pela pesquisadora, Valéria Cristina de Carvalho Neri, da Fundação Oswaldo Cruz.


Neste contexto, priorizamos o consumo de sementes germinadas e brotos, vegetais no início do crescimento e, portanto, no ápice da sua vitalidade. Utilizamos também vegetais crus, in natura, fermentados ou desidratados a baixas temperaturas. 

Fonte - http://panelasdecapim.blogspot.com.br/



Estudo associa refrigerantes, biscoitos e salgadinhos ao câncer intestinal



Refrigerantes, bolos, biscoitos, batatas fritas e sobremesas. Todos os itens desta lista de guloseimas foram identificados como fatores de risco para câncer de intestino, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Edimburgo, na Escócia.
O estudo é o primeiro de seu tipo a encontrar uma relação entre a doença e uma dieta rica em alimentos que contêm uma grande quantidade de açúcar e gordura. Os pesquisadores analisaram também outros fatores de risco entre os voluntários, como os níveis de atividade física e tabagismo.
Os cientistas analisaram mais de 170 alimentos, inclusive frutas, legumes, peixe e carne, bem como salgadinhos de alto nível calórico – como chocolates, nozes e batatas fritas e bebidas de frutas.
Durante a pesquisa, os cientistas concluíram que o câncer colorretal tem fatores de risco já conhecidos – tais como história familiar de câncer, baixo nível de atividade física e tabagismo, mas também identificaram outros menos estudados, incluindo a alta ingestão de lanches de alta energia e bebidas adoçadas com açúcar.
O estudo – que usou dados do Estudo escocês de Câncer Colorretal – realizado em 2012, baseia-se em pesquisas anteriores sobre a ligação entre o câncer de intestino e a dieta. Esses estudos identificaram dois padrões distintos de comer – um, rico em frutas, verduras e outros alimentos saudáveis; ​​e o padrão ocidental, rico em carne, gordura e açúcar.
O padrão ocidental gera mais risco de câncer que o padrão rico em vegetais.




segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Cinco mitos e cinco verdades sobre alimentação saudável



1 – Dietas muito restritivas, com apenas duas refeições por dia, ajudam a emagrecer. Mito ou Verdade?Mito. Dietas muito restritivas, abaixo de 800 calorias por dia, podem diminuir o gasto energético de repouso, pois causa queda nas concentrações de hormônios da tireoide. Diferentemente do que se pensa, fazer uma dieta fracionada e comer de três em três horas faz com que os hormônios se mantenham nos níveis ideais. Evita que a grelina (hormônio que faz iniciar uma refeição) aumente demasiadamente e a leptina (hormônio da saciedade) diminua para aquém dos níveis normais. Além disso, comendo fracionadamente, evita-se que o organismo armazene gordura para os momentos que ele necessita, ou seja, de fome ou escassez, evitando assim a formação dos indesejáveis “pneus” na região dos flancos.
2 – Licopeno ameniza o envelhecimento cutâneo. Mito ou verdade?
Verdade. O licopeno é a substância que dá a cor avermelhada ao tomate. Conhecido por seu efeito antioxidante, ajuda a impedir e reparar os danos às células causados pelos radicais livres. O licopeno dos tomates frescos e não processados é pobremente absorvido. A absorção do licopeno é maior quando oriundo de alimentos processados, como as pastas e sucos de tomate. Ele suporta o calor elevado usado na cocção. Desta forma, a massa de tomate ou o molho podem oferecer os mesmos benefícios dos tomates frescos.
3 – Vitamina C previne gripes e resfriados. Mito ou verdade?
Mito. Ao contrário do que muitos pensam, a vitamina C (acerola, limão, etc.) não previne gripes ou resfriados. Esse micronutriente, porém, é ótimo para aliviar os sintomas e para amenizar o mal-estar. Os benefícios da suplementação de vitamina C na prevenção valem somente para praticantes de exercício físico intenso. Após a atividade, o organismo precisa recompor tecidos danificados.
Foto: Divulgação
4 – Pimenta emagrece e melhora o humor. Mito ou verdade?
Verdade. A pimenta é considerada um alimento termogênico – quando se ingere algo apimentado tem-se um gasto energético aumentado. Além do efeito emagrecedor, as pimentas podem trazer felicidade. Tudo porque a pimenta vermelha contém uma substância chamada de capsaicina. Já pimenta do reino, a piperina. Ambas dão aquela sensação de ardor na língua. A ardência é ótima porque provoca uma sensação de bem-estar. Ao ingerir algo que contenha pimenta, a capsaicina ou a piperina ativam receptores na língua e na boca. Esses receptores mandam mensagem para o cérebro que acredita que a boca esteja “pegando fogo”. Para salvar esse “incêndio”, começa o processo de salivação. Para dar sensação de alívio da queimação, o cérebro produz endorfina (neurotransmissor que dá ao organismo a sensação de bem-estar e alívio de dores) que permanece por um bom tempo circulante no sangue. Com isso, vem a sensação de bem-estar e, também, melhora dores de cabeça e enxaqueca. Embora o cérebro acredite nisso, a língua não pega fogo, nem sofre danos. Meia pimenta por dia é suficiente, não exagerar nas quantidades é o segredo, pois podem ter efeitos adversos.
5 – O peso corporal é o melhor indicador de que uma dieta está funcionando. Mito ou verdade?
Mito. O peso na balança não significa resultado final. A melhor avaliação para saber se a dieta está funcionando, é a avaliação antropométrica completa. Onde se pode analisar peso e percentual de gordura corporal e peso de massa muscular.
Foto: stock.xchng
6 – Comer maçã provoca fome? Mito ou verdade?
Verdade. A maçã tem uma acidez que estimula a liberação do suco gástrico pelo estômago. A fruta possui uma substância chamada ácido málico – que faz com que a digestão seja mais rápida e a sensação de fome também. Uma dica é ingerir juntamente com a maçã, uma fonte de fibras, como chia, aveia, linhaça. As fibras retardam o esvaziamento gástrico.
Foto: Stock Photo
7 – Ingerir carboidrato engorda? Mito ou verdade?
Mito. Pode-se aumentar gordura corporal no caso de ingestão de carboidratos em excesso. Mas isso não significa que se deve retirar o macronutriente do cardápio. É a principal fonte de energia e exerce diversas funções em nosso organismo, como a nutrição das células do sistema nervoso central. Não se deve retirar esse nutriente da alimentação, principalmente se estiver fazendo exercício físico, pois o carboidrato é responsável por fornecer energia, pelo desempenho no treino e também tem um papel fundamental no período de recuperação pós-exercício e crescimento muscular.
Foto: Bete Duarte
8 – Batata doce auxilia na redução de gordura abdominal. Mito ou verdade?
Verdade. A batata doce é um alimento de baixo índice glicêmico. Quando consumidos, elevam lentamente a glicose sanguínea e, com isso, o organismo produz insulina aos poucos. A insulina é o hormônio que impede a quebra de gordura e facilita o seu acúmulo na região abdominal. Logo, se produzida de forma lenta, ameniza o acúmulo de gordura.
Foto: Kopenhagen
9 – Alimentação não influencia no surgimento da acne. Mito ou verdade?
Mito. É importante ressaltar que a acne é uma afecção crônica, com vários fatores, podendo ser inflamatória ou não, surge na puberdade ou na mulher adulta em endocrinopatias. Os alimentos podem, sim, agravar o surgimento da acne. Os mais relacionados são: chocolate, produtos lácteos, alimentos gordurosos, açúcares.
10 – Alimentação pode melhorar o aspecto da pele e da acne. Mito ou verdade?
Verdade. Assim como existem alimentos que causam inflamação, existem outros que amenizam, como o ômega-3 (fontes: chia, óleos vegetais, de linhaça, oliva, canola, gérmen de trigo e animais de origem marinha, como sardinha, atum, salmão). Fibras também amenizam o agravamento da acne. Elas se transformam em gel quando entram em contato com a água, inibindo o crescimento de bactérias patogênicas, facilitando a digestibilidade da lactose. O déficit de vitaminas e minerais tem relação com o agravamento da acne.
Exemplos de micronutrientes que inibem o surgimento da acne:
Zinco (frango, peixe) – Mais citado como coadjuvante no tratamento da acne
Selênio (castanha do Brasil, bacalhau) - Efetivo no combate a infecções
Cobre (cacau, lentilha) – Apresenta ação antibiótica local
Vitamina A (cenoura, manga) – Melhora da pele acneica.
Vitamina B6 (ovos, arroz integral) – Auxilia na diminuição dos sintomas relacionados a TPM e exacerbações cutâneas.




Saiba como germinar sementes de girassol

Para germiná-las, basta colocá-las em um vidro ou copo. Cubra com água até que as sementes fiquem imersas. No dia seguinte, escorra a água e lave bem as sementes, colocando-as de volta no vidro sem água.
Agora, o recipiente deve ficar inclinado em 45°, com um tule preso por elástico na boca do vidro para que o ar entre. Deixe o vidro repousando em um local sombreado e fresco.
Três vezes por dia, lave as sementes com bastante água, até que elas comecem a brotar.

Conheça o Suco da luz do sol, preparado com sementes de girassol germinadas.Saboroso e super saudável, o suco pode acompanhar lanches da tarde e ajudar a matar a sede com muita vitamina!



Como é nosso corpo?



Ann Wigmore *
O corpo é a "máquina elétrica" mais incrível. Uma máquina regulada por um computador eletroquímico conhecido como o cérebro. Cada indivíduo é o condutor e guardião de sua própria mente e corpo. Cada um de nós tem uma grande responsabilidade para com o próprio corpo e sua significância aqui na Terra. Devemos entender, compreender e manter saudável (pacificamente) as partes deste complexo mecanismo. Como qualquer máquina, o corpo requer manutenção contínua (amorosa e qualificada) para que possa funcionar com plenitude e harmonia metabólica a todo tempo.
Essa "possessão" preciosa funciona em quatro partes:
1. Primeiro tem o esqueleto, que sustenta e mantém coesa toda a estrutura, composto de ossos, ligamentos e juntas, além dos músculos, que permitem a estrutura ser flexível e móvel.
2. A segunda parte é o sistema cardiovascular, composto pelo coração, artérias e vasos sanguíneos, além dos líquidos que por elas circulam, provendo nutrição e também removendo os excretos e toxinas.
3. A terceira parte é composta por diversos órgãos, todos com suas especialidades,  mas integrados como numa orquestração desta mais maravilhosa criação de Deus, o corpo humano. Estes órgãos incluem os pulmões, o fígado, os rins, o pâncreas, os intestinos, etc.

4. A quarta parte constitui o sistema nervoso central. Um sistema extremamente sofisticado e delicado que deve ser “mantido” com a melhor nutrição possível, ou seja, com alimentos “vivos” e crus, para que possa trabalhar em sincronicidade com as leis da natureza. É através deste sistema nervoso que fluem as energias positivas e negativas, que podem ser bloqueadas ou desviadas, pelas toxinas dos alimentos cozidos, vazios, processados ou tratados artificialmente. Quando a corrente sanguínea é desta forma poluída, desordens nas células nervosas acontecem, e com o tempo, há um desequilíbrio de todo o sistema, principalmente no balanço elétrico do corpo.
A menos que tomemos a responsabilidade por nosso corpo e mente, não será possível a paz, a felicidade, o sucesso em conduzir nosso crescimento pessoal. Se no corpo físico, no nível celular, tal paz e harmonia não acontecem, como poderá ser possível nos demais níveis de consciência e da existência (emocional, mental e espiritual)?
A necessidade fundamental do corpo físico é em primeiro lugar de energia e nutrição a partir de um alimento fácil de digerir. De alimentos disponibilizados pela natureza, para servirem à evolução humana. Um combustível limpo, que sustenta a vida em sincronicidade com a natureza, que nutre, previne deficiências e gera um mínimo de resíduos tóxicos para o corpo e a mente.
A estrutura celular do corpo humano é sincrônica com alimentos de origem vegetal, com os alimentos crus e vivos. Eles já vêm prontos para serem digeridos, pois são ricos nas enzimas específicas para a sua própria digestão, além de conterem informações físicas e metafísicas para a vitalidade das células, mantendo o organismo como um todo, livre de doenças, da velhice precoce e degenerativa.
As escolhas alimentares, que irão nutrir nosso corpo e mente são muito importantes. Devemos nos perguntar a cada refeição ou lanche: o alimento que escolho agora é somente para me dar prazer ou também para nutrir meu amado corpo e minha, cada vez mais, sábia mente?
Quanto mais entendermos nossas necessidades físicas, melhor poderemos compartilhar nosso conhecimento com os outros, e aí sim, estaremos dando sentido e significância a nossa estada neste planeta.

Texto baseado na apostila de Ann Wigmore: O que é estilo de vida Alimento Vivo?
Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações, citada a autoria e a fonte.



O que é Alimentação Solar?




A Alimentação Solar é basicamente a Alimentação Crua. O sistema de Alimentação Solar desmistifica a Alimentação Crua. A Alimentação Solar requer que 80% ou mais das opções alimentares contenham um balanço de vegetais de folhas verdes, frutas doces e oleaginosas. Os outros 20% podem conter qualquer um dos 14 tipos de alimentos vegetais crus mencionados abaixo ou outros alimentos que você sinta serem apropriados neste estágio. A idéia por trás da Alimentação Solar é comer pelo menos 80% de alimentos vegetais crus e, em seguida, mover-se adiante a partir daí.
Os alimentos vegetais se enquadram em 14 categorias principais:
Frutas: são alimentos que contêm uma semente dentro deles para a reprodução de sua variedade. Podem ser predominantemente doces, neutras, cítricas, sub-cítricas e gordurosas.
Folhas: contêm pigmentos, o principal é o verde da clorofila, fonte de fibras, água vital e minerais. A maioria das ervas são folhas verdes.
Castanhas: são os agentes reprodutivos de certas árvores. São alimentos predominantemente gordurosos.
Sementes: são os agentes reprodutivos das plantas. São ricas em proteína e gordura. Os grãos são sementes.
Leguminosas: incluem todas as ervilhas, feijões e amendoins. São idealmente germinadas antes do consumo. São predominantemente protéicas.
Flores: são os órgãos sexuais das plantas.
Brotos: são plantas novas espalhadas por "trepadeiras" subterrâneas a partir de suas matrizes.
Brotos verdes: aparecem quando sementes ou leguminosas são germinadas e brotadas, quando alcançam um certo ponto de crescimento em que folhas verdes surgem.
Raízes: são as porções das plantas que penetram abaixo da terra. Ricas em minerais, dão a sustentação para o crescimento da planta.
Casca: as camadas de proteção externas das árvores.
Seiva: o fluído vivo de uma árvore.
Haste: as hastes são as partes estruturais fibrosas das plantas.
Vegetação Aquática: os vegetais aquáticos são folhas de plantas contendo elevada concentração de minerais retirados do oceano e acima do solo oceânico. A spirulina e as algas de todos os tipos estão incluídas nesta categoria.
Cogumelos: não são alimentos verdadeiramente vegetais. Estes fungos crescem no escuro e não são diretamente nutridos pela energia vibrante do Sol.
Os benefícios
As implicações da Alimentação Crua são imensas. Uma dieta de alimentos vegetais crus nos põe em contato com o poder vital. Na origem de todo poder vital encontra-se uma abundância infindável.
Dietas como a Ayurvédica, a Medicina Tradicional Chinesa e a Macrobiótica permitem o restabelecimento da saúde humana até certo nível. Estes sistemas foram desenvolvidos para a pessoa comum; o propósito destes sistemas era ajudar a pessoa comum a alcançar uma boa saúde.
O propósito da Alimentação Solar é ajudar a pessoa comum a se tornar um ser humano extraordinário que experimenta uma saúde superior, que vai ao encontro das formas de vida mais elevadas e que libera poderes adormecidos. A Alimentação crua nos possibilita uma relação alquímica com as forças da natureza.
As primeiras coisas que evaporam em um ambiente tóxico são as habilidades supernaturais que nos foram dadas ao nascimento. Assim que o corpo começa a ser envenenado, estes poderes se perdem. Em qualquer degeneração biológica, os poderes mais elevados desaparecem primeiro. Contudo, suas habilidades naturais superiores não foram totalmente destruídas pela alimentação inadequada, elas estão apenas adormecidas e podem renascer, regenerar e ressuscitar. Quanto mais limpo o corpo, mais perfeitamente irradiará seus poderes supernaturais.
Um dos aspectos mais importantes da Alimentação Solar é abrir para a idéia de que muitas de suas crenças arraigadas talvez sejam totalmente falsas. Como conseqüência da adoção da Alimentação Solar a visão de mundo pode ser reconstruída. Uma vez que você experiência que comer alimentos cozidos e crescidos artificialmente reduzem imediatamente o funcionamento normal do seu organismo, você começa a questionar muitos outros aspectos do seu sistema de crenças. Então, a Alimentação Solar age como um aríete desintegrando crenças estagnadas, falsas e doentes de sua mente. Isto lhe permite crescer em novas direções que jamais poderia ter previsto. Enxergar novos horizontes, novas saídas para os desafios diários da vida será natural.
Alimentos diferentes estimulam novas percepções de mundo. Alimentos vegetais crus sintonizam você com vibrações mais evolutivas. Com alimentos vegetais crus, seus instintos tornam-se mais fortes, a intuição tornar-se mais confiável - clara - e a tomada de decisões acontece sem esforço.
Durante a implementação da Alimentação Solar, você experimentará momentos de mudança instantâneos como o enxergar melhor. Mas haverão mudanças sutis, que com o passar do tempo se edificam, e um dia você acordará transformado. De um modo geral, as opções alimentares têm um efeito acumulativo sobre seu organismo: para o bem ou para o mal..
Nós sabemos que todo sucesso é sobre a transmutação da energia. Esta mensagem é sobre a transmutação da energia usada na digestão para a realização de novos objetivos.
Na Alimentação Solar você precisa de menos sono. Em média, considerando a informação que tenho reunido, as pessoas que seguem esta dieta experimentam uma redução de 2 horas/noite. Em um ano, haverá um ganho de 30 dias de tempo extra para alcançar objetivos de saúde, crescimento e evolução.
Depois de ter feito o compromisso de melhorar sua alimentação, de realmente viver a vida, seu subconsciente reforça em sua mente que sua vida tem significado e que se empenhar por uma saúde extraordinária vale a pena. O aspecto mais importante da Alimentação Solar é que ela lhe compele a viver naturalmente e em harmonia com a Terra.
Comida Cozida
A distinção cru-versus-cozido é o mais importante discernimento no campo da nutrição.
O cozimento altera a constituição físico-química do alimento. Quando ele é cozido, sempre se torna menos do que era antes, nunca mais. O fogo é um destruidor, ele nunca cria nada, ele mata. O cozimento apenas retira a vida, mata a vida.
Entenda: você é água, água eletrificada. Tudo que você engole precisa ser quebrado até ser solúvel em água (suas águas) para nutri-lo. A primeira coisa a desaparecer com o cozimento é a água, que evapora com o calor do fogo.
Comida cozida é densa, pois ela não tem mais a sutileza da vida vegetal. Tal densidade, uma vez ingerida, passa a ser tóxica no corpo, impura, além de ser um combustível de elevado custo energético. Muito caro.
Com os anos e décadas consumindo alimentos cozidos, estes restos tóxicos se acumulam sob a forma de mucos, pedras, tumores, úlceras, inflamações e bloqueios energéticos.
Uma semente crua contém todas as informações genéticas e vitais para gerar uma nova planta. Uma semente cozida não contém mais estas substâncias e vibrações, estas informações: gere vida, aconteça a vida. Não germinará, não brotará, não crescerá. Alimentos cozidos não possuem energia de força vital.
Pessoas em uma dieta padrão de comida cozida atravessam a vida em uma condição debilitada, com sua vitalidade muito abaixo do normal, mas elas não estão conscientes disto porque não conhecem nada diferente. Elas não têm razão para acreditar que sua vitalidade e saúde não são o que deveriam ser. Elas não podem sentir falta do que elas nunca tiveram. As pessoas estão decaindo a cada dia para níveis mais debilitados, apesar de acreditarem estar conquistando um padrão de vida mais elevado.
Comer comida cozida e processada debilita, desequilibra emocional e mentalmente, afeta os humores, abaixa o nível de consciência e interfere na vitalidade, na produtividade.
Comida cozida é viciante (não existe uma maneira mais leve de descrevê-la). Um vício é um desejo por uma substância que não tem conexão com os desejos verdadeiros. Comer alimentos cozidos tem todas as características de uma dependência físico-química. Esta é uma colocação forte, mas acho que, à medida que você experimentar consumir mais e mais alimentos vegetais crus, encontrará uma verdade interessante dentro de você.
As pessoas não estão verdadeiramente apegadas a muitos dos alimentos cozidos que comem. Elas os comem pelo sabor ou divertimento. A maioria das pessoas têm normalmente 5 ou 6 comidas cozidas que têm problemas em abandonar: pão, leite (ou queijo), carne, café, batata frita e doces (chocolate, sorvete).
Tipicamente, estas comidas estão presas a âncoras emocionais. Quando estas comidas são retiradas, sentimentos emocionais emergem para serem desintoxicados do organismo. Alguém talvez se sinta desconfortável por um tempo (enquanto estas emoções são liberadas), mas se sentirá muito melhor a longo prazo.



Seguidores