segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O Que é a Alimentação Viva

Farinha branca e açúcar estão banidos do cardápio, assim como carnes, ovos e leite. Os pratos nunca são preparados no fogão, que só é usado para esquentar sopas e ensopados de vegetais. De acordo com os adeptos dessa corrente alimentar, a alimentação viva é muito mais saudável do que a convencional, pois é mais fácil de ser digerida, além de ser livre de toxinas presentes em rangos de origem animal.
Também conhecida como crudivorismo, a alimentação viva preconiza o consumo de alimentos crus, que não sejam preparados no fogão - que só é usado para esquentar sopas e ensopados de vegetais. A dieta também exclui carnes, ovos, laticínios, farinha branca e açúcar, e prioriza o uso de orgânicos. De acordo com os adeptos dessa corrente alimentar, a alimentação viva é mais saudável do que a convencional, pois é mais rica e mais fácil de ser digerida, além de ser livre de toxinas e de alimentos de origem animal. Um dos alimentos mais divulgados e valorizados na culinária viva é o suco verde, que já foi "estrela" de vários programas sobre saúde na TV.
O movimento a favor da alimentação viva tem crescido no Brasil, sobretudo após a divulgação de seus benefícios na grande mídia por meio do trabalho de profissionais expressivos, como o médico Alberto Peribanez Gonzalez, autor do livro "Lugar de Médico É na Cozinha", a professora Ana Branco, pioneira no país em pesquisas sobre alimentos vivos, e a iniciativa "Terrapia", desenvolvida pela médica Maria Luiza Nogueira no Rio de Janeiro.



Nenhum comentário:

Seguidores