sábado, 21 de dezembro de 2013

Litha – O Solstício de Verão

Litha – Movimento de Alegria e Regozijo  




Por volta de 21 de junho no hemisfério Norte 

por volta de 21 de dezembro no hemisfério Sul 

          Litha é uma celebração essencialmente do Fogo, assim como todos os ritos de Verão na Wicca. Ocorre no hemisfério Norte por volta de 21 de junho e no hemisfério Sul por volta de 21 de dezembro. 

         Litha ocorre no Solstício de Verão, momento em que o poder do Sol chega ao seu ápice e as flores, as folhagens e os gramados encontram-se em abundância na Natureza. É o dia longo do ano, no qual o poder da luz se encontra acima da escuridão, garantindo poder e proteção. 

         Nesse período celebramos a abundância, a luz, a alegria, o calor e o brilho da vida proporcionados pelo Sol. Nesse instante o Sol transforma as forças da destruição com a luz do amor e da verdade. 

         Agora o Deus Sol chegou ao seu pico de poder. Ele é um adulto e tornou-se Pai (dos grãos), devido a sua união com a Deusa em Beltane. Em toda a sua plenitude e poder ele traz o calor do Verão e a promessa total de fertilização do solo, dos grãos, para que haja uma colheita farta e abundante. A Deusa foi fertilizada pelo Deus. Animais crescem livres e sabem que os raios protetores do Sol irão prover suas necessidades. 

         Litha é o auge do poder do Sol, mas prenuncia também o seu declínio. A partir de agora o Deus Sol começará lentamente a sua caminhada rumo ao País do Verão (Outro Mundo), e morrerá em Samhain. É por isso que em algumas Tradições Pagãs esse Sabbat marca o fim do reinado do Deus do Carvalho (Senhor do Ano Crescente) e o início do reinado do Deus do Azevinho (Senhor do Ano Decrescente), que durará até Yule, no qual será substituído novamente. 

         Há muitas lendas e ritos que envolvem a noite do Solstício de Verão. Um dos costumes mais populares em toda a Europa e  Norte da África é a Tradição de colher ervas medicinais e mágicas nesse dia, já que a força e o poder mágico estão no auge por causa do momento astral, que contém todo o poder sanador do sol e toda a plenitude da Terra. As ervas são tradicionalmente colhidas nesse dia para capturar o poder do sol que está em seu apogeu. Visco, basílico e outras inúmeras plantas são colhidos ritualisticamente e usados para preservar a energia nos tempos frios em encantamentos e sortilégios. 

         Há também uma infinidade de lendas mágicas que nos falam de Antigas Tradições de banhos purificadores e curas milagrosas realizadas nas noites do Solstício de Verão em fontes, rios e cachoeiras. Acredita-se que tudo aquilo que for sonhado, desejado ou pedido na noite da Litha se tornará realidade. 

         Os antigos povos da Europa acreditavam que, nessa noite, Puck, Pã e todos os Elfos, Fadas, Duendes e Gnomos andavam correndo pelos campos e florestas e poderiam ser facilmente vistos e contatados. 

         Nesse dia os amuletos do ano anterior são queimados e novos talismãs de proteção, poções para sonhos proféticos e filtros são feitos para aproveitar o grande momento de poder. É costume acender uma grande fogueira, continuando a Tradição de Beltane, e pular sobre ela para livrar-se dos infortúnios e negatividade. Tradicionalmente a fogueira é acesa com a fricção dos gravetos de duas árvores mágicas: o abeto e o carvalho. 

         Litha é o melhor momento para fazer rituais na praia, ao ar livre, praticar divinação e brincadeiras, assim como  cantar em homenagem aos Deuses Antigos, dançar e contar histórias em volta da fogueira. Essa é a noite do Poder Mágico. 

Correspondência de Litha 

Cores: laranja, amarelo, verde, azul, branco. 

Nomes alternativos: Solstício De Verão, Feil Seathain. 

Deuses: todos os Deuses Solares e Deusas da fertilidade. 

Ervas: sálvia, menta, basílico, cebolinha, salsa, alecrim, tomilho, hissopo, madressilva, urze vermelha, urze branca, lavanda, samambaia, visco, verbena, musgo, íris, sorveira, carvalho, abeto, pinheiro, sementes de anis, aveleira. 

Pedras: rubi, diamante, conchas do mar, quartzo branco, âmbar, citrino, olhos-de-gato, topázio amarelo, turmalina amarela, peridoto, cornalina, calcita. 

Comidas e Bebidas Sagradas do Sabbat: frutas frescas, vegetais frescos, patê de ervas, pães de cereais, vinho, suco, cerveja e água.

Atividades: 
        Pular uma Fogueira, um Caldeirão com chamas ou uma vela. 
          Pintar Runas e outros símbolos mágicos em pedaços de madeira, conchas, papel, pedras; consagra-los e pendura-los em suas portas e janelas para proteção. 
          Colher ervas e plantas mágicas nesse dia. 
         Fazer um Bastão Mágico. 
         Fazer uma Cruz Solar e pendura-la no seu jardim ou porta.decorá-la  com elementos da Natureza. 
          Fazer uma Coleira de Bruxa (Witch’s Ladder) que represente a necessidade que você precisa alcançar. 
        Acender velas, fazer oferendas e libações ao Povo das Fadas. 
          Pendurar ervas na lareira, sala e cozinha para secarem. 

Fazendo um Roda Solar 

         A Roda Solar é utilizada desde tempos remotos como símbolos do Sol. É especialmente feita em Litha para representar o apogeu do Sol e colocada na Natureza como oferenda aos elementais ou pendurada em nossa casa como um amuleto protetor. 

         Para fazer uma Roda Solar você vai precisar de: 
•          Galhos e ramos maleáveis, 
•          Fitas e símbolos mágicos relacionados à proteção. 

         Entrelace os ramos maleáveis fazendo uma circunferência. No interior dessa circunferência estabeleça uma linha vertical, utilizando mais galhos e ramos. Faça um linha horizontal, cruzando a vertical, formando assim uma cruz de braços iguais dentro da circunferência. 

         Enfeite sua Roda Solar com as fitas e os símbolos escolhidos. 

         Pendure-a em uma árvore, numa porta ou parede de sua casa, enquanto diz: 
Pelo Terra e pelo Ar, 
Pelo Fogo e pela Água, 
Esta Roda Solar será pendurada. 
Que Ela possa me proteger e todo o mal afastar 
E que a Deusa e o Deus possam me abençoar. 
Pela fora e pela Magia e pelos poderes das Graças, 
Que assim seja e que assim se faça! 

Fazendo um Coleira de Bruxa (Witch’s Ladder)

         As penas sempre foram utilizadas em inúmeros propósitos mágicos, e talvez o mais famoso encantamento feito com elas seja a Coleira de Bruxa (Witch’s Ladder). Três fios de diferentes cores são trançados juntos – as cores dependem do propósito da Coleira de Bruxa – e nove penas, nas cores associadas ao seu desejo, são amarradas ao longo do fio entrelaçado. Ao final da confecção, una as pontas dos fios. 

   Use: 
   Branco: para equilíbrio, proteção, paz e as bênçãos da Lua. 
   Vermelho: para coragem, vigor, dinamismo, garra, conquista de algo muito difícil. 
   Azul: harmonia familiar e poderes psíquicos. 
   Amarelo: saúde, inteligência, sorte nas vendas. 
   Verde: prosperidade, proteção, abundância. 
   Laranja: sucesso. 
   Rosa: amor. 
   Marrom: conquistas materiais. 
   Preto: proteção, afastamento da negatividade, neutralização de feitiços. 

         Durante toda a confecção da Coleira de Bruxa, mentalize o seu desejo e peça aos Deuses o auxílio necessário para alcançá-los. 

         Pendure a sua Coleira de Bruxa na janela do seu quarto. Quanto mais o vento soprá-la, mais o seu desejo estará próximo de tornar-se realidade. 

Ritual de Litha 

Material necessário: 
        Caldeirão; 
        Três velas vermelhas; 
         Uma pedra de rio; 
       Cálice com vinho; 
         Álcool de cereais; 
        Canela em pau. 

      Procedimento: coloque as três velas vermelhas em forma de um triângulo, que aponte para cima. Ponha o Cálice no meio do triângulo de velas. Trace o Círculo Mágico e diga: 
         O Senhor do Sol abençoa nossa Terra com seus raios e nos protege com a sua dança. Que Ele abençoe os solos para que as plantações amadureçam. 

         Ao acender cada uma das velas, diga: 
         Celebro a alegria do Sol e a sua luz que abençoa a Terra com alegria e amor. 

        A cada vela acesa faça um pedido à Deusa e ao Deus. Eleve a Taça, dizendo:
         Este é o verdadeiro Graal da sabedoria e inspiração e ventre condescendente da Deusa e de suas águas fertilizadoras. 

           Dentro do Caldeirão derrame um pouco de vinho com um pouco de canela em pau e álcool e acenda. 
         Segure a pedra por alguns instantes e transfira a ela todos os seus medos, rancores e aquilo que para você atrapalha o seu sucesso e progresso. Deixe a pedra aos pés do Caldeirão e pule-o, dizendo: 
         Com este pulo eu me liberto de todas as coisas que impedem o meu avanço. 

         Beba um pouco de vinho e faça uma libação, dizendo: 
         Eu bebo este vinho em honra ao Deus Sol e à Deusa Terra. 

         Dance e cante em homenagem aos Deuses. 
         Destrace o Círculo. 

Nenhum comentário:

Seguidores